Precariedade nem para os Estivadores, nem para ninguém

O MUDAR expressa a solidariedade de trabalhadores bancários com a firme luta
dos estivadores precários do porto de Setúbal.

A precariedade nos vínculos contratuais afecta centenas de milhares de
trabalhadores portugueses. Este flagelo está em todo o lado e os bancários também
a conhecem bem. A insegurança destas situações tem provocado décadas de medo,
de passividade e de aceitação desta realidade que nunca teve a necessária
intervenção da maioria do movimento sindical e dos políticos parlamentares.

Contra a precariedade, exemplo a seguir tem sido a luta dos estivadores e do SEAL
e, agora, a histórica luta que estão a realizar os estivadores precários do porto de
Setúbal. Uma luta que já é seguida por muitos milhares de precários em todo o
país.

A vitória desta luta será um alento para que outros trabalhadores percam o medo e
reivindiquem direitos básicos de trabalho efetivo que permita organizar a vida, os
muitos trabalhadores precários da banca estarão atentos a esta luta.

A luta dos estivadores de Setúbal ultrapassa em muito o porto, a cidade e o distrito.
Ela ganhou dimensão nacional e mesmo ecos internacionais. E é por isso que um
governo e um Estado que devia respeitar as suas próprias leis está a transgredi-las
ao enviar as forças policiais contra os trabalhadores que lutam pela aplicação da
lei, ao mesmo tempo que protege mercenários e os criminosos fora-da-lei das
empresas mafiosas concessionárias dos portos.

Os estivadores de Setúbal merecem toda a nossa solidariedade e força para
continuarem a luta até à vitória. É nesse sentido que o MUDAR já participou com
um modesto contributo financeiro e apelamos a todos para reforçarem este apoio,
para Solidariedade com estivadores precários de Setúbal:
NIB 0007 0000 0043 3813 7802 3

4/12/2018
O Executivo do MUDAR